Archives for January 2012

Apresentação da versão portuguesa do documento “Processo de crescimento em CVX” aos Guias e Equipa Regional – SUL

No passado dia 19 de Janeiro, os Guias e a Equipa Regional Sul reuniram-se com a Equipa Nacional, a seu pedido, para a apresentação da versão portuguesa do documento “Processo de crescimento em CVX”.

Foi um serão muito rico de onde retirámos algumas notas que aqui partilhamos convosco:

Ao entrarmos para a CVX entramos para uma comunidade mundial que tem a sua raíz na universalidade da Igreja.

Foram destacados alguns passos da sua história muito recente:

1967 – o regresso aos exercícios espirituais

1982 – Uma comunidade mundial

1990 – Revisão dos princípios gerais

1994 – Uma comunidade em missão

1998 – Uma missão comum (não necessariamente a mesma actividade ou tarefa)

2003 – Um corpo apostólico para a missão

a que juntamos Uma comunidade profética, desafio muito recente do P. Adolfo Nicolás à assembleia mundial de 2008, que aconteceu em Fátima.

O processo de crescimento em CVX foi apresentado como um processo de crescimento pessoal e comunitário, que envolve todas as dimensões da pessoa humana, e é desenvolvido em três dimensões, Comunidade, Espiritualidade e Missão. Este processo de crescimento apoia-se num ciclo dinâmico que envolve quatro etapas:


Que esta dinâmica nos ajude a descobrir na Comunidade de Vida Cristã o nosso lugar, a nossa forma de estar em Igreja, procurando sempre “em tudo amar e servir”.

 

A Equipa Regional

A morte de Judas

Queridas CVX,

em nome do grupo Canónigos (www.canonigos.org) venho fazer-vos uma sugestão: uma ida ao teatro. O monólogo A MORTE DE JUDAS de Paul Claudel vai ser reposto a partir da próxima semana no Teatro da Cornucópia. É um monólogo de temática religiosa sobre a vida do apóstulo Judas. O autor conta a morte de Cristo pelo ponto de vista de quem desencadeou toda a Paixão. Ao contrário dos Evangelhos que mitificam a narrativa dos acontecimentos, Judas fala do lugar do Homem, fala enforcado, e resgata a sua condenação moral com um ponto de vista exemplarmente dialéctico em que demonstra como a sua traição serviu Deus. É o actor Dinarte Branco quem interpreta essa fala do enforcado. Trabalhou o monólogo em diálogo com Luis Miguel Cintra e Cristina Reis. O resultado é um estranho e incómodo ?objecto?, o monumento a que o Mal não tem direito. Essa estátua ali fica para sempre e afirma, por outras palavras a frase popular: ?Deus escreve direito por linhas tortas?. E que é o Homem quem trabalha para Deus. Uma visão humanizada do "traidor".

O espectáculo, com duração de 1 hora, terá uma curta carreira de 10 representações: de 19 a 29 de Janeiro. Há desconto de 50% para grupos a partir de 10 pessoas.

E que tal uma ida ao teatro em comunidade e uma reflexão posterior em grupo?
Desejo a todos um bom espectáculo.

Mais informações no anexo e aqui: http://www.teatro-cornucopia.pt/htmls/conteudos/EFEpVZuyZEteesiEst.shtml

Um abraço "Canónigo"
Luís Santos

A Casa Velha

Pedido de apoio para o Projeto “Casa Velha”

Queridos amigos e amigas,

É com base no que já conhecem da Casa Velha e do que aqui se vai passando, agradecendo a confiança que têm depositado neste projeto, que hoje vos escrevemos esta carta a pedir apoio.

Em 2008, várias ideias e sonhos foram tomando forma neste projeto. Após uma fase de procura de rumo, de pôr em prática muitas experiências e de ir acolhendo muitas e diversas atividades, o projeto Casa Velha tem vindo a definir-se. Como sabem, a Casa Velha está a transformar-se em Lugar de acolhimento, num encontro forte com a natureza, em ambiente rural, que proporciona o descanso, o encontro de cada um consigo mesmo, com os outros, com Deus ou com o transcendente, experiência comum a todos os seres humanos. Articulando diversas dimensões que se complementam – Acolhimento, Exploração agrícola e florestal, Atividades de lazer e formação – experimenta-se na Casa Velha um estilo de vida simples, familiar, comunitário, que tem revelado o seu valor nos tempos difíceis que atravessamos.

Para além das muitas pessoas que por aqui têm passado de forma individual, a Casa Velha tem proporcionado o cruzamento e crescimento partilhado de grupos de diversos movimentos/instituições de matriz cristã, entre os quais a Associação CAMTIL, Campinácios, Carraças, SAIREF, Escuteiros do Corpo Nacional de Escutas, Fundação Fé e Cooperação (FEC), Leigos para o Desenvolvimento, Fundação Gonçalo da Silveira, Movimento Apostólico de Schoensttat – Jornadas da Juventude Feminina. A Companhia de Jesus e as Escravas do Sagrado Coração de Jesus têm dado apoio espiritual a muitas das atividades. A nível local, a Casa Velha tem acompanhado um grupo de 20 jovens do Vale Travesso, os Reparadores, e assegura desde Novembro de 2011 atividade pastoral e social no Vale Travesso e Ourém, com um grupo de 15 voluntários universitários ligados ao CUPAV e às Escravas do Sagrado Coração de Jesus. De forma a ir percebendo e encontrando a melhor forma de concretizar a sua Missão na Comunidade em que se insere, este projeto tem sido acompanhado por D. António Marto, Bispo da Diocese Leiria- Fátima, bem como pela Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Piedade, pela Câmara Municipal de Ourém (através da empresa OuremViva), e pelo Instituto Politécnico de Leiria (IPL).

Passados três anos, com base em alicerces que se foram construindo, para além das muitas atividades que se têm desenvolvido e que já aqui trouxeram só neste ano de 2011 mais de 700 pessoas, surgem agora desafios maiores, pelo que se tem vindo a trabalhar na sustentabilidade deste projeto.Foi nesse sentido que nos candidatámos em Janeiro passado a ajudas do PRODER (programa da União Europeia para o Desenvolvimento Rural) na medida de “outros usos das explorações agrícolas”, com o objetivo de criar condições adequadas de acolhimento e sustentabilidade, através do alojamento turístico, com dimensão espiritual e de natureza. No âmbito deste projeto, a Casa Velha deverá ser intervencionada em vários dos seus anexos agrícolas, com o objetivo de criar possibilidades novas e mais duráveis de acolhimento individual e de grupos. São estes os espaços que vão ser utilizados nas atividades previstas de formação humana e espiritualidade, nomeadamente com o acolhimento de retiros e encontros de formação, nos quais muitos já participaram. Serão antes de mais, espaços de hospitalidade que proporcionam a paz e o descanso suave e profundo, enraizado na Terra.

O pedido de apoio ao PRODER foi aprovado! Representa um financiamento a fundo perdido de 177 mil euros (60% do investimento apresentado), ao qual temos de juntar 118 mil euros em 2 anos. São muito boas notícias! O desafio grande que temos pela frente é garantir este auto-financiamento. Por isso vos escrevemos esta carta.

Como podem ajudar o projeto Casa Velha?

Pensámos em três formas concretas de o poderem fazer:

1/ Encaminhar e apresentar este projeto a quem acharem que o pode apoiar (anexamos a esta carta uma apresentação breve do mesmo e poderemos preparar apresentações mais específicas)

2/ Com um donativo, à medida do que cada um puder e quiser dar. O pouco de muitos é que tem feito que seja possível termos chegado até aqui!

3/ Como Benfeitor, contribuindo regularmente com a quantia que desejar (cada pequeno contributo é sempre uma bênção, permitindo ir fazendo uma porta, eletrificar um espaço, remendar um telhado, etc.).

Estamos a iniciar o processo de criar a figura jurídica que permita oficializar esta Missão conjunta sem fins lucrativos (Associação). Mas enquanto essa entidade não está criada, aqui fica um NIB: 003300000014972289605 (conta do BCP, em nome de Margarida Alvim). Para mais informações, contactar a Margarida (914511519 ou alvim.margarida@gmail.com).

Acreditamos que a Casa Velha tem essa Missão pela frente, de acolher, de juntar e reunir as pessoas à volta do que é essencial na vida e é esse lugar especial que queremos preservar e melhorar para os que vierem. Vemos que esse sonho já não é só nosso, é também de todos aqueles por cá têm passado. A vossa ajuda contribuirá para que este projeto possa continuar a crescer.

Por fim, dizer Obrigado! Sabemos ser pouco, mas sabemos também que Deus recompensa de maneira inimaginável todos aqueles que colaboram na construção do Seu Reino. Já sabem, a Casa Velha está pronta a receber-vos e a acolher as vossas iniciativas. Iremos dando notícias!

Pelo Projeto “Casa Velha”,

Margarida Alvim

Natal com os refugiados

Queridos amigos,

 

Boas entradas em 2012! Que seja um ano muito cheio da presença de Deus nas nossas vidas!

No passado mês de Dezembro, a Ir Irene Guia foi a oradora do CEM à hora. Falou-nos, entre outras coisas, da sua experiência recente em campos de refugiados, um dos infernos da nossa realidade mundial, e da sua experiência da fidelidade de Deus.

Partilhamos convosco um artigo que escreveu para a agência Ecclesia.

 

http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?&id=88753

 

Esperamos por todos na quarta-feira, a CEM à hora!

 

Com amizade,

A Equipa Regional