Archives for December 2012

Psst! Não abras já a janela….

Pssst!

Acordaste agora?

Não abras já a janela! Acredita em mim, está um dia lindo lá fora!

Está um dia daqueles em que nos é pedida com mais insistência a fé: a fé nos nossos dons, a fé nos nossos sentidos, a fé no que está para além dos nossos sentidos, para além do nosso olhar, a fé em Deus.

Não abras já a janela! Vai por mim, está um dia lindo lá fora!

Hoje faz anos uma amiga, há imensos eventos de solidariedade, há amigos que se juntam e é dia de Nossa Senhora. Vê-se ao longe, todo o ânimo das gentes em festa.

Vejo também ao fundo uma daquelas árvores cheias de folhas tão encarnadas que só pode estar a gozar da diferença das suas vizinhas verdes acastanhadas....

Está um dia tão bonito... tudo se sente. Acreditas?

Não abras já a janela.

O senhor da meteorologia prevê sol, ligeira descida da temperatura, mas um dia bom para passear à beira-rio, aqui por Lisboa... com mais ou menos agasalho, mas um dia que nos presenteia de sorrisos iluminados....

Abre agora a janela, e acredita: é neste branco e espesso nevoeiro que se tornam palpáveis os sorrisos, que as árvores encarnadas mais se destacam, que mais nos toca os anos da amiga com quem não vamos estar, que mais nos custa, mas mais nos recompensa ser solidários, que mais nos vencemos se formos festejar o dia de Maria, e que mais nos é pedido que confiemos: as estrelas continuam lá, o sol também...

E o senhor da meteorologia acertará, outro dia ou noutra hora, porque a racionalidade, mesmo que caótica, é, agora e sempre, um conceito humano.

A Deus o que é de Deus!

Ele respondeu:

«Ouvi a tua voz no jardim e, cheio de medo,

escondi-me porque estou nu.»

Gn 3, 10thumb3_red_tree_surrounded_by_green

Reunião de Animadores 4/12/2012

Orientação de Vida

Graça a pedir: Deixar que o Espírito conduza a minha missão de animador(a) e fortaleça o meu sentido de pertença e compromisso com a comunidade

Act 2, 42-47 Uma comunidade modelo – “Eram assíduos ao ensino dos Apóstolos, à união fraterna, à fracção do pão e às orações. Perante os inumeráveis prodígios e milagres realizados pelos Apóstolos, o temor dominava todos os espíritos. Todos os crentes viviam unidos e possuíam tudo em comum.Vendiam terras e outros bens e distribuíam o dinheiro por todos, de acordo com as necessidades de cada um. Como se tivessem uma só alma, frequentavam diariamente o templo, partiam o pão em suas casas e tomavam o alimento com alegria e simplicidade de coração. Louvavam a Deus e tinham a simpatia de todo o povo. E o Senhor aumentava, todos os dias, o número dos que tinham entrado no caminho da salvação.”

Pistas:

  1. Como tenho vivido a graça de ser animador(a)?
  2. Como me deixo conduzir nesta missão que me é confiada por Deus através da Comunidade?
  3. Como vejo a missão do animador? Vivo essa missão apenas para o meu grupo, ou também ao serviço da Comunidade Regional?
  4. Como animador(a), sou depositária(o) e veículo da identidade da CVX e devo estar na linha da frente do serviço à Comunidade. Como me posiciono relativamente a esta afirmação? Na vivência da minha missão de animador(a) como está a minha disponibilidade para colaborar nos desafios que se vão colocando à CVX-S?: iniciação, acolhimento de grupos e membros novos, colaboração com a companhia de Jesus, outras solicitações.
  5. Que importância tem para mim aproveitar os momentos formativos que a CVX-S e CVX-P me proporcionam?
  6.  Um desafio que poderá contribuir para suscitar uma maior partilha da missão da nossa Comunidade, é a constituição da comunidade dos animadores. Como vejo este desafio?