Archives for February 2014

Noite Fados Gambozinos

À Comunidade

Recebemos um convite para uma noite diferente:

Queridos amigos,

Venho desafiar-vos a virem à Noite de Fados dos Gambozinos. Juntem 10 amigos à volta de uma mesa, e aproveitem uma noite de bom fado, óptimo jantar, e ambiente descontraído e divertido!!
Ou levem um amigo... Ou venham sozinhos =)

Existem três modalidades:

  • Pequeno grupo para jantar - €25/pax (entradas, sopa, prato principal, sobremesa e bebidas à descrição durante o jantar)
  • Mesa completa de 10-12 pessoas para jantar - €20/pax (entradas, sopa, prato principal, sobremesa e bebidas à descrição durante o jantar)
  • Só fados - €5 (duas bebidas)

Esperamos casa cheia!
Espero ver-vos por lá!

Os Gambozinos de Braga, Porto, Peniche, Pragal, Lisboa e resto do país agradecem!

Vejam aqui o cartaz:

noite-fados-gambozinos-2014

O Céu é a Sul #103

Fevereiro 2014


ER

Ser CVX!

Ultimamente tenho-me perguntado muito o que quer isto dizer.

Somos um movimento de leigos, como há muitos na Igreja. Somos de espiritualidade inaciana; mas tantas outras pessoas o são: leigos, religiosos, pessoas individuais, comunidades. Comunidade! Acho que é a chave! Somos comunidade de leigos que vivem a sua fé, a sua vida, o seu caminho para Deus na espiritualidade inaciana.

Agora, as implicações práticas: vivo a minha vida confrontada e acompanhada por Jesus, em busca da vontade de Deus na minha vida, buscando-O e encontrando-O em todas as coisas e todas as coisas n’Ele. E ainda, faço este caminho individual em grupo, partilhando os toques de Deus nas nossas vidas e os caminhos que fazemos com Ele.

Este grupo, mais pequeno e mais íntimo, é a expressão primeira da dimensão comunitária da CVX, que não se esgota aqui. A Comunidade de Vida Cristã é uma só e formada por muitos grupos, muitas comunidades regionais, nacionais e continentais. Atrevo-me a compará-la com a Igreja, grupos, movimentos, serviços, paróquias, dioceses, congregações religiosas, conferências episcopais, etc. Inúmeras formas de organização com um único objectivo, ajudar cada um a encontrar a vontade do Pai na sua vida.

É este o significado da comunidade nacional, a CVX-P, a comunhão de muitas pessoas que se apropriaram desta forma de estar em Igreja! E estar em Igreja é estar em missão. Missão de oferecer Jesus a todos, pelo testemunho das nossas vidas e por esta via facilitar o encontro de cada um com o Pai. Como Jesus fez por nós, tomando parte na Sua missão.

Resta agora perguntar-me se é isto que procuro e encontro na CVX, e se é para esta realidade que contribuo ou quero contribuir.

Se for, aproxima-se um momento privilegiado para continuar a construir a Comunidade de Vida Cristã; se não sintonizamos com nada disto, nem nos nossos desejos mais profundos, então talvez seja um bom momento para me oferecer a oportunidade de mudar, para buscar e encontrar o que Deus quer para mim, aqui e agora, na CVX e na Igreja.

 

A Equipa Regional


3 olhares sobre a Assembleia Nacional CVX

No próximo fim de semana de 27 a 30 de Março terá lugar em Fátima mais uma Assembleia Nacional com o desejo continuo de aprofundar os apelos lançados na Assembleia Mundial realizada no Líbano em Agosto de 2013, sob o tema “Das nossas raízes para as fronteiras”.

Membros e delegados reunir-se-ão durante 3 dias como comunidade de discernimento procurando os caminhos que o Espírito quer abrir À CVX Portugal.

Quisemos saber que expectativas rodeiam esta Assembleia e por isso desafiámos a Maria Raquel Rei (MRR), a Maria do Carmo Almeida (MCA) e o João Cordovil Cardoso (JCC) a partilharem com a Comunidade aquilo que esperam serem as principais conclusões da próxima Assembleia Nacional.

Aqui ficam 3 olhares de quem vai lá estar:

1. Depois da Assembleia Mundial (AM) no Líbano sob o tema “das nossas raízes para as fronteiras”, o que podemos esperar desta Assembleia Nacional (AN)? Qual será o fio condutor? Que expectativas tens?

MRR – Gostaria que a CVX-P aprofundasse as orientações saídas da AM em função da nossa realidade. Seria como que uma “tradução” das grandes linhas da AM para a realidade portuguesa.

MCA – Para mim, a sequência natural nesta AN será a preocupação de identificar estas fronteiras na nossa realidade, e como lhes tocar. Rezando perceber como chegar às “franjas”, um sentido de aproximação, de estarmos mais sensíveis aos que andam nas margens, aos que têm vidas menos iguais à nossa. Pessoas com um outro sentido de vida, pessoas desanimadas, pessoas pobres, pessoas sem trabalho, mães sozinhas, pessoas em solidão.

JCC – É a primeira vez que vou participar numa AN pelo que estou mais na expectativa de ver como é, como o Espírito Santo nos vai conduzir, do que ter uma ideia precisa sobre o que dela posso esperar. Mas estou certo de que será um tempo de oração que nos ajudará a ler os sinais dos tempos e a descobrir o que Deus quer que cada um de nós, e todos como Comunidade, façamos pelo nosso país e por todos com quem nos cruzamos.

2. O que é que esta AN pode trazer de novo à comunidade alargada e a cada uma das pequenas comunidades CVX?

MRR – Independentemente dos frutos ao nível das conclusões da Assembleia (que desejo que sejam muitos, claro), penso que a maior riqueza da Assembleia (e essa é garantida) é estarmos uns com os outros, constatarmos que partilhamos a mesma forma de estar e que somos, mesmo, uma comunidade. Cada Assembleia é um momento de grande crescimento do pilar comunidade. E como esse não cresce sozinho, arrasta consigo os outros dois. O fortalecimento da comunidade é uma grande riqueza para todos – a nível global e a nível das pequenas comunidades.

MCA – Fazer-nos “tremer” à palavra indiferença, mergulharmos mais na vida do outro sem medo, ficarmos mais atentos e sensíveis, mais disponíveis, mais abertos. Um maior sentido de gratidão pelo que somos e podemos com Deus.

JCC – A reflexão e oração sobre os dois textos propostos, do P. Nicolas e do Franklin, ajudarão seguramente a entender o grande desafio de sermos cristãos na vida de todos os dias, no trabalho, na política, na intervenção social; que fazemos isto em comunidade, partilhando esta forma de viver com muitos irmãos espalhados por todo o país e pelo mundo; que rezamos e partilhamos do mesmo modo que muitos outros, não apenas da CVX, mas de toda a Igreja, da qual fazemos parte e com quem colaboramos para a construção do Reino de Deus nos nossos dias; e que, alguns de nós, que são chamados a tarefas mais específicas, o fazem com a certeza de que toda a Comunidade reza com eles e lhes serve de retaguarda.

3. Na Exortação Apostólica o Papa Francisco alerta para a “maior consciência de identidade e da missão dos leigos na Igreja…esta não se reflecte na penetração dos valores cristãos no mundo social, político e económico, limitando-se muitas vezes às tarefas no seio da Igreja”. Esta AN vem reforçar essa a necessidade e renovar o compromisso da comunidade CVX nessa missão apostólica?

MRR – Não sei: prognósticos, só depois do jogo…

MCA – Sim, é um renovar e um tomar consciência do que de facto pomos no nosso dia-a-dia. No que vamos tocando com a nossa vida. Da importância da entrega gratuita, que fica a quem lê com os olhos do coração. O sermos presença de esperança para alguém.

JCC – Como já referi acima é absolutamente necessário o testemunho cristão na sociedade, nas suas vertentes sociais, políticas e económicas, mas também na educação, nos meios de comunicação social,etc. O Papa coloca o dedo na ferida ao referir que muitas vezes estamos mais preocupados em “trabalhar” para dentro do que para fora. Somos cristãos no nosso grupo, com os nossos amigos mas, quando se trata de estar na ribalta, o nosso testemunho acobarda-se…Penso que a AN será mais uma oportunidade de tomarmos consciência desta missão, que afinal é a obrigação de cada cristão (ou não poderemos usar este nome…) e de nos sentirmos acompanhados por todos os membros da CVX para que, seguindo o que o próprio Jesus tantas vezes repetiu, “não tenhamos medo” de dar público testemunho da nossa Fé.

4. Durante a AN será celebrado o Dia Mundial CVX. Deixa-nos uma mensagem que desafie a comunidade a participar.

MR – Vai ser muito melhor do que em todos os outros anos. Se não vieres és um tótó!

MCA – A nossa escolha é ser CVX, é por aqui que nos sentimos chamados a viver em igreja. Nós seguimos a coerência que Jesus nos mostrou com a sua vida. Vamos ser coerentes com o que acreditamos. Nesta nossa escolha o caminho é feito em comunidade. A comunidade somos todos, não é só o pequeno grupo, mas o todo. É um dos pilares deste nosso sim!

JCC – Comecei a sentir-me verdadeiramente numa comunidade mundial quando participei em 2008, em Fátima, no dia aberto. A partir de então senti que o meu pequeno grupo se alargara a uma comunidade com quem partilho o estilo de vida, de oração e de espiritualidade. Especialmente para os que ainda não experimentaram esta sensação, e que estarão mais renitentes a sair de casa, sugiro que venham experimentar este dia em Comunidade. Que venham também acompanhar aqueles que vão fazer os seus compromissos. E que se lembrem que, para facilitar a vida e diminuir as despesas da deslocação, a CVX-Sul tem uma óptima camioneta pronta para os levar e trazer, cómoda e economicamente, começando logo na viagem esta experiência de partilha.

Até Fátima!


DIZ-ME POR ONDE ANDAS

Recomendado por Manuel Canelas (CVX-U)

# inesperado.org: http://inesperado.org/2014/03/04/anuncio-que-vou-atras-da-liberdade/

 


DIZ-ME O QUE LÊS

Recomendado por Dirce Serafim (Abba)

L´HOMME-ECONOMIQUE-ARNSPERGER

L'homme économique et le sens de la vie : Petit traité d'alter-économie, de Christian Arnsperger

O autor é investigador no Centro Nacional Belga de Investigação Científica e professor da cadeira de ética económica e social na Universidade de Lovaina. Tem assumido uma atitude crítica em relação ao capitalismo e explora nesta obra uma alternativa assente numa reflexão filosófica sobre o sentido e o valor da existência. Fruto de um diálogo com os pensadores do “decrescimento”, o livro vai além de princípios e normas gerais e apresenta vias concretas (porventura utópicas) para se caminhar no sentido de uma organização económica e social mais sustentável, mais igualitária, mais humana.

Apesar de escrito por um académico, é um livro que me parece interessante mesmo (ou sobretudo…) para não especialistas que considerem que é importante continuar a refletir as questões económicas e sociais à luz da Doutrina Social da Igreja.

 

 

 

 


ORAÇÃO NA CIDADE

4ªs feiras entre as 13:10 e as 13:30 / Capela das Irmãs Franciscanas Missionárias, Rua Chaby Pinheiro - Campo Pequeno
5ªsfeiras, entre as 13:10 e as 13:30 / Capela do Centro Comercial das Amoreiras

e-mail: oclx@googlegroups.com / blog: oclx.wordpress.com / facebook: Oração na Cidade

 


A NÃO PERDER

11 de Março 2014
Via Sacra CVX
Local: Igreja de S. João Baptista do Lumiar

Pedido da ajuda da CVX das Filipinas

À Comunidade

Recebemos da Equipa Nacional, reencaminhado da CVX das Filipinas, um pedido de apoio concreto na sequência da tragédia motivada pelo tufão Haiyan que se abateu sobre aquela zona, afectando dramaticamente tantos irmãos, vários deles elementos da CVX.
Agora que esta tragédia já saiu dos noticiários, é preciso que o nosso espírito de ajuda, solidariedade e amor não saia das nossas almas.
Informação com mais detalhe e dados relevantes para podermos concretizar a nossa ajuda, podem ser encontrados no texto Sobre uma carta da CVX das Filipinas..
Com amizade
            Equipa Regional CVX-Sul
Sobre uma carta da CVX das Filipinas

"(...)O esforço que se procura desenvolver visa muito concretamente possibilitar aos pescadores recuperarem os seus barcos de pesca para se poderem sustentar, recuperar os telhados das escolas públicas e estabelecer um centro comunitário. (ver fotos). No final da carta Terence convida as comunidades nacionais da CVX a apoiarem financeiramente este projeto sublinhando que enviarão relatórios sobre o modo como o dinheiro será aplicado.

Embora conscientes de que muitos de nós, da CVX-P, já procuramos apoiar os trabalhos de recuperação nas Filipinas enviando donativos, este pedido é importante porque vem da nossa própria comunidade! É a CVX que nos pede que juntemos esforços ao serviço de quem mais precisa.(...)"

A Presidente da CVX-P

assinatura

letter to world communities on rehab for daanbatayan, cebu

https://www.facebook.com/50fiftyrebuild