Assalto ao Centro Social do Pragal: pedido de ajuda à CVX

Caríssimos,
alguns de vocês já saberão, outros ainda não, que o Centro Social do Pragal (importante obra social dos Jesuitas no Pragal) foi assaltado na semana passada!
Levaram mais de 3500€ que estavam destinados ao pagamento dos ordenados dos funcionários que lá trabalham. O P. José Pires, Guia CVX que muitos conhecem, está muito preocupado pois não sabe como fazer para pagar esses ordenados a gente que já recebe tão pouco e vive com tantas dificuldades...
Foi então que me lembrei de pedir a colaboração aos membros da CVX!
Afinal, não é verdade que "O Amor deve pôr-se mais em obras do que em palavras"(EE) e que a solidariedade não pode ser só uma palavra vazia? Com o pouco de muitos talvez consigamos reparar o mal que foi feito.
Assim, aqui vai o NIB do Centro Social, para quem puder e quiser contribuir. Também podem ajudar, encaminhando este mail a outras pessoas dos vossos grupos.
 NIB: 0033 0000 0003 1113 4300 5
Obrigada,
P'la
Tintão

Peregrinação COTA: últimas vagas!

A Peregrinação COTA 2012, organizada pelo Círculo Vieira, realiza-se de 4 a 6 de maio, com partida de Lisboa no dia 3 à noite; a pé da Chamusca do Ribatejo ao Santuário de Fátima.

Ainda há algumas vagas! Inscrições através do link abaixo.

https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dHZJNDZMdmV1bUJfVjNqTW5sR0xBc0E6MA

Obrigada e um beijinho

Ana Guimarães

A Porta

Fotografias da nossa região, precisam-se!

Queridos Todos,

Estamos a mudar a imagem do Blog.
Nada mais adequado do que fotografias da nossa região e tiradas pelos nossos membros para o fazer!
Este é o momento, precisamos do contributo de todos vós! E sabemos que existem muitos e bons fotógrafos na CVX!
Vamos fazê-lo em duas etapas: primeiro, aguardando e acolhendo as vossas fotografias; depois, registando a vossa votação. Tudo isto através do facebook da CVX-SUL. A fotografia mais votada será a nova imagem do nosso Blog.
Explicando melhor:
Entrem na nossa página do facebook.

E, até ao dia 15 de Março:
• Coloquem no mural da página do facebook da CVX-SUL fotografias da nossa região ou relacionadas com ela; se não tiverem facebook, enviem-nos por e-mail que nós publicamos.
• As fotografias têm que ser originais vossos ou de amigos e familiares e são cedidas para serem utilizadas e divulgadas livre e gratuitamente, sem necessidade de qualquer comunicação aos seus autores.

De 15 a 31 de Março:
• Votem na vossa fotografia preferida clicando em Gosto quando a fotografia for publicada pelo utilizador CVX-SUL. A fotografia que recolher mais votos será a escolhida para o Blog.
(ATENÇÃO: Para colocar fotografias a votação é necessário adicionar a CVX-SUL como amigo no facebook).

Eu já mandei as minhas! Quem dá mais?
BOAS FOTOGRAFIAS! BOA VOTAÇÃO!

A Equipa do Blog e do Facebook!

AINDA HÁ ESPERANÇA?

Saiu hoje uma edição especial do essejota.net, para comemorar 4 anos de actividade.

Sob o tema Em tempos de crise, falemos de Esperança, foram convidadas diferentes personalidades para responder a uma mesma pergunta: ainda há Esperança?

Com Editorial do Pe. Alberto Brito, aqui fica um cheirinho para vos desafiar a espreitar...

"A esperança vem da causa que se defende. E a causa é essa força ascensional que nos eleva, que nos faz partir do local onde nos encontramos, em direcção ao que desejamos, valendo-nos das ajudas que sempre podemos pedir. A esperança é a arte de viver. E no exercício dessa arte, aparecem-nos forças nem a gente sabe bem de onde. Oxalá tenhamos surpresas destas.
Quem coloca o presente ao serviço do passado, perde a esperança. Mas quem coloca o passado ao serviço do presente, perde o medo do futuro, ou seja, ganha esperança. A perda da esperança está ligada ao medo do futuro.(...)
Ocupem-se bem do presente, aprendam com o passado e não se pre-ocupem com o futuro. Só perde a esperança quem quiser viver fora do tempo.(...)"

in http://www.essejota.net

 

DIA MUNDIAL CVX 2012 – O significado de ser membro da CVX

Os nossos princípios gerais, especificamente o PG.10, situam o ser membro da CVX como uma verdadeira vocação pessoal. Ser membro da CVX é o resultado de um processo de discernimento e de um compromisso vivo e genuíno com a comunidade (desde o pequeno grupo e/ou comunidade local, até à comunidade nacional e mundial), entendida como o grande Corpo Apostólico que significa a CVX, e o nosso “estilo de vida” (PG:12)

 No dia mundial da CVX 2012, somos convidados todos, comunidades e amigos próximos, a reconhecer como o compromisso dentro da CVX, os pilares de formação, apostolado e espiritualidade, a co-responsabilidade financeira, e tudo o que vivemos dentro da comunidade se integram dentro do que significa ser membro da CVX.

O problema da compreensão do “ser membro” hoje

O tema da participação, ser membro de algum corpo, está marcado nos nossos dias pelas estruturas humanas (sociais, económicas, políticas e culturais) que imperam no mundo de hoje. Na maioria dos casos, ser membro, é entendido como a pertença a grupos formais que se tornam em espaços isolados ou diferenciados, de maneira a que possamos assumir a nossa identidade, a diferença dos outros, incluindo negando-os.

O ser membro de, desta perspectiva actual, geralmente estabelece distâncias entre pessoas, em muitas ocasiões, fá-lo em virtude do que se possui a nível material ou de relações (ex. clubes, grupos ou associações de elites exclusivas que se reconhecem por uma superioridade económica, intelectual ou social). Noutros casos constroem-se espaços de pertença em função de diferenças culturais, de origem, de crença, ou outras (ex.: grupos de identidade étnica, imigrantes que se articulam em função do seu sítio de origem, ou grupos religiosos que se fecham em si mesmos, para reforçar a sua identidade frente ao que é diferente). Como comunidade, somos também reflexo do nosso contexto e ao estar sob a influência das estruturas que nos rodeiam, é necessária uma paragem no caminho e perguntarmos como compreendemos e vivemos o sentido de ser membro da CVX no meio desta realidade. Somos convidados pelo EXCO a fazer uma pausa, um “momento de reflexão” com a seguinte pergunta:

Como me influenciaram as estruturas sociais, económicas, políticas e culturais para a minha compreensão do conceito de ser membro de um corpo,  como pessoa,  como cristão e como membro da CVX?

Outras perspectivas:

Uma visão que nos pode ajudar a compreender o sentido de ser membro é o que nos localiza como seres humanos com as nossas particularidades e diferenças, como reflexo do nosso conteto social e cultural, e por sua vez nos reconhece como membros todos de uma só família humana. Como CVX, isto permite-nos uma articulação com a nossa convicção de que somos todos filhos/as de um mesmo Deus que é sobretudo expressão do  amor profundo pela sua criação, especialmente pelo homem e a mulher (Gn 2, 1-7). Deus deseja que o ser humano entenda o sentido da existência para que não esteja só e viva plenamente (Gn 2, 18-23).

Um exemplo que nos pode ajudar a compreender o ser membro de um corpo neste sentido, é o que se vive no espaço familiar. Da nossa perspectiva como CVX,  a família é o espaço mais importante onde começa a verdadeira escola de fé, de dignidade e de recriação do Amor de Deus entre os seus membros e para toda a humanidade, sobretudo os mais excluídos e vulneráveis (PG.4). A família deve ser vista mais além da mera consanguinidade, mas sim a partir do sentido de comunidade de vida, de onde nos sentimos membros porque esta se torna uma referência de confiança, convivência e acompanhamento da vida quotidiana. A família torna-se o espaço de intimidade que permite a profundidade do encontro a partir de um amor sério, profundo e responsável. Também é um espaço de procriação da vida em sentido amplo,isto é, como reprodução do género humano, mas também como sustento, orientação e no sentido de construir uma sociedade a partir do compromisso. É o espaço onde se vive de maneira solidária a satisfação das necessidades de realização pessoal incluindo as económicas. Tudo isto em volta do eixo da vivência espiritual como elemento integrador de toda a experiência familiar.

Pistas desta nossa fé para compreender o ser membro da CVX.

  1. Todos ficarão cheios do Espírito Santo (Act 2, 1-11). O ser membro da CVX começa com a certeza da força viva de um Deus que enche as nossas vidas. i.é, reconhecemos a presença amorosa do Espírito que nos leva a constatar que o amor de Deus é uma força transformadora que nos sustenta ao longo das nossas vidas. A nossa identidade sustenta-se da certeza de que Deus habita em nós apesar dos nossos limites, e que pelo seu Amor somos chamados a fazer parte desta grande comunidade de homens e mulheres que dão testemunho dele. (PG 2).
  2. Vejam como se amam! Os crentes viviam unidos e tinham tudo em comum, distribuíam entre todos segundo a necessidade de cada um (Act 1, 42-47). A nossa vivência de Deus tem também um modelo que se refere à constatação de que Deus mesmo se fez um de nós. A encarnação de Jesus é o elemento chave da nossa vocação como cristãos, e como membros da CVX. É a partir desta realidade que assumimos o sentido de ser comunidade, mais além de formalismos, é visível pelo amor profundo, o compromisso, a solidariedade e o acompanhamento de uns a outros, que se constata a nossa vivencia comunitária (PG. 7).
  3. O Senhor enviou-os a dois e dois: “A messe é grande mas os trabalhadores são poucos” Lc 10, 1-5). Portanto o sentido de ser membro CVX, tece-se a partir de (a)da identidade que nos dá a certeza do Espírito de Deus em nós, (b) afirma-se a partir da expressão comunitária de solidariedade e fraternidade amorosa, (c) necessariamente deve concretizar-se no sentido de missão que nos leva ao encontro das necessidades mais urgentes do nosso mundo. O ser membro é o compromisso concreto de sair ao encontro dos mais empobrecidos. Cristo envia-nos em comunidade a trabalhar pela construção do Seu reino. Então, a necessidade de estruturas, processos de indução, toda a nossa formação e qualquer expressão de processos para integrarmos a CVX devem orientar-se sempre para a missão e compromisso com a realidade (PG. 8). Só assim nos vamos fazendo “membros”  plenos.

Neste momento convidamos a comunidade a fazer um “Segundo momento de reflexão” em torno das seguintes perguntas:

a)Qual foi a minha experiência de descoberta de um Deus amoroso e a força do seu Espirito na minha vida como cristão e como membro da CVX?

b)Quais foram as minhas vivências mais significativas de encontro em comunidade (de solidariedade e de fraternidade) que temos vivido dentro da CVX?

c)Como temos respondido ao compromisso apostólico com os mais pobres como membros da CVX enviados à missão de construir o reino?

Como entendemos, então, o sentido de ser membro CVX a partir destras três pistas?

(Recolher as reflexões, noticias e fotos da celebração e enviá-las para o EXCO e elaborar um documento com os testemunhos das comunidades locais.)

Em jeito de despedida damos graças a Maria, nossa mãe pelo seu testemunho vivo do que significa ser membro de forma valente, gratuita e amorosa. O seu exemplo permite-nos viver paulatinamente o processo para uma pertença mais plena como membros da CVX em toda a sua amplitude. O seu testemunho confirma o horizonte claro de que isto nos permitirá viver mais profundamente o nosso compromisso como Corpo Apostólico Mundial

Mauricio López Oropesa/ Consultor

Lois Campbel /Consultora

Apresentação da versão portuguesa do documento “Processo de crescimento em CVX” aos Guias e Equipa Regional – SUL

No passado dia 19 de Janeiro, os Guias e a Equipa Regional Sul reuniram-se com a Equipa Nacional, a seu pedido, para a apresentação da versão portuguesa do documento “Processo de crescimento em CVX”.

Foi um serão muito rico de onde retirámos algumas notas que aqui partilhamos convosco:

Ao entrarmos para a CVX entramos para uma comunidade mundial que tem a sua raíz na universalidade da Igreja.

Foram destacados alguns passos da sua história muito recente:

1967 – o regresso aos exercícios espirituais

1982 – Uma comunidade mundial

1990 – Revisão dos princípios gerais

1994 – Uma comunidade em missão

1998 – Uma missão comum (não necessariamente a mesma actividade ou tarefa)

2003 – Um corpo apostólico para a missão

a que juntamos Uma comunidade profética, desafio muito recente do P. Adolfo Nicolás à assembleia mundial de 2008, que aconteceu em Fátima.

O processo de crescimento em CVX foi apresentado como um processo de crescimento pessoal e comunitário, que envolve todas as dimensões da pessoa humana, e é desenvolvido em três dimensões, Comunidade, Espiritualidade e Missão. Este processo de crescimento apoia-se num ciclo dinâmico que envolve quatro etapas:


Que esta dinâmica nos ajude a descobrir na Comunidade de Vida Cristã o nosso lugar, a nossa forma de estar em Igreja, procurando sempre “em tudo amar e servir”.

 

A Equipa Regional